sexta-feira, 30 de maio de 2008

Introdução

O nosso trabalho está relacionado com os interesses económico-políticos e baseia-se em vários temas, os quais vamos passar a explicar. Actualmente é habitual utilizar-se o termo tecnociência, uma vez que a ciência e a técnica são dependentes uma da outra. Pela aplicação prática que a investigação científica tem nas necessidades do Homem, existem interesses económicos, políticos e militares que a financiam e fornecem meios para que esta seja processada. A investigação científica está em todo o lado e em lado nenhum, visto que, apesar de estar presente em cada pequena partícula de matéria, ninguém se preocupa ou se dá conta da sua utilidade. É-nos então posta em causa a autenticidade da neutralidade e da autonomia da tecnociência.
A investigação científica pode, por vezes, pôr em causa a vida de seres humanos e animais. Contudo, os seres humanos só se sujeitam às experiências científicas se quiserem, ao contrário dos animais, que não podem controlar os seus direitos.

A Investigação Científica e os direitos fundamentais do Homem no cinema

video"O Fiel Jardineiro" apresenta a trajectória de Justin Quayle, um diplomata britânico que se encontra a trabalhar no Quénia, que decide investigar as razões do assassinato da sua esposa, Tessa, uma activista de direitos humanos.
Justin é um funcionário do corpo diplomático britânico, cujo interesse em jardinagem aparentemente é maior do que aquele pelos acontecimentos à sua volta. Escalado para substituir um colega numa uma palestra, ele conhece e acaba por se apaixonar por Tessa, após um breve desentendimento entre ambos, devido à política externa britânica. Justin é transferido para a África e casa-se com Tessa, que, por não conseguir controlar o seu idealismo, acaba por ser bastante criticada pelos colegas de Justin. Numa viagem de trabalho, Tessa é assassinada em condições muito suspeitas e todos tentam fazer Justin acreditar que ela o traía com Arnold (um médico negro que trabalhava com ela).
Ao persistir na investigação do assassinato da sua esposa, mesmo recebendo ameaças e "avisos" de amigos, Justin descobre-se no meio de uma teia de revelações mais profundas: a sua esposa estáva envolvida numa investigação sigilosa sobre uma conspiração internacional, envolvendo governos e multinacionais do sector farmacêutico e testes de medicamentos em seres humanos. Segundo a investigação, sob o pretexto de ajudar a prevenir a disseminação da SIDA e distribuir gratuitamente medicamentos para o seu tratamento no Quénia, uma grande empresa testava um novo medicamento contra a tuberculose e, ocultando pela manipulação dos testes, os seus severos efeitos colaterais.
Após planear como trazer a público a informação sobre todos os envolvidos no caso, Justin prepara-se para enfrentar o seu destino, no mesmo lugar em que a sua esposa foi assassinada.

quinta-feira, 22 de maio de 2008

Tarefas

Uma vez que a investigação científica teve um grande desenvolvimento, é oportuno reflectir sobre o seu poder, as suas dependências e os riscos que dela advêm. Assim, leva-nos a questionar:

  • Quais as relações entre ciência e técnica na actualidade?
  • Quais os interesses económicos na investigação científica?
  • Quais os interesses políticos e militares na investigação científica?
  • Podemos considerar a tecnociência neutra e autónoma?
  • Será que a investigação científica respeita os direitos fundamentais?

Projecto




video

1ª Questão: Quais as relações entre ciência e técnica na actualidade?

Técnica é o procedimento que tem como objectivo obter um determinado resultado, seja no campo da ciência, da tecnologia, das artes ou noutra actividade. Só os humanos são capazes de construir, com a imaginação, algo que podem concretizar na realidade.

Ciência é o conjunto de saberes sobre factos, artefactos ou fenómenos resultantes de uma curiosidade intelectual. Procura o conhecimento teórico que os explica, sendo susceptíveis de verificação, assim como o fabrico e a produção de naturezas novas a partir de naturezas dadas.
Com o evoluir da ciência a relação entre esta e a técnica é cada vez mais valorizada.
Hoje em dia, ciência e técnica não se distinguem, pois, para que haja ciência é necessária a existência de técnica e esta última é ressuscitada da ciência pela produção de múltiplos objectos que podem ser úteis ou prejudiciais ao ser humano. Estes termos são, portanto, considerados tecnociência.
Tecnociência é relativa a técnica/ciência e designa o contexto social e tecnológico, uma vez que esta não é só socialmente condicionada e posicionada, mas é também baseada e tornada duradoura graças a redes materiais.

2ª Questão: Interesses económicos na investigação


O saber dos cientistas não pode, por si só, ser fabricado, mas está também dependente de um orçamento que lhe permita ter meios para a sua feitura.
Logo, para que haja estimulação da investigação científica ao fabrico de utensílios / mecanismos benéficos ou prejudiciais à vida dos Humanos, é necessário o seu financiamento.

3ª Questão: Interesses políticos e militares na investigação científica

Os principais patrocinadores responsáveis pelo financiamento da investigação científica são os políticos ligados ao exercício da governação dos Estados, bem como aos inerentes interesses militares desses mesmos Estados.
Quanto à política, esta vê a investigação científica como um empreendimento social, uma vez que visa o impacto benéfico da comunidade, de acordo com o público alvo e a sua utilidade.
O principal objectivo dos militares no financiamento para fins científicos é a produção de mecanismos que permitam e mantenham actualizada a componente defensiva do País.
Estes meios têm o superior interesse no resultado final e nos custos da investigação, excluindo e ignorando o conteúdo da tecnociência.

4ª Questão: Neutralidade e Autonomia da Tecnociência

Em resposta à questão colocada, segundo a nossa perspectiva, a tecnociência não é neutra nem autónoma.
Esta conclusão advém do facto de que a tecnociência não é livre de interesses económicos, políticos e militares, uma vez que, para que haja a estimulação da investigação científica, é necessário a existência destes intervenientes, logo não é neutra; e como tal, para que tenha meios para prosseguir o seu trabalho, é preciso que haja investimento económico no mesmo, ou seja, não é autónoma.

5ª Questão: A Investigação Científica e os direitos fundamentais


O principal interesse da investigação científica na medicina é, por um lado, conhecer os efeitos secundários de certos produtos e por outro, avançar no conhecimento ou na descoberta de outros. Para isso necessita recorrer a cobaias Humanas ou Animais.

Os direitos dos animais, ao contrário dos Humanos, pode-se afirmar que não são assegurados, uma vez que não lhes é questionado se querem proceder à verificação dos efeitos de determinado produto.

Quanto aos Humanos, existem comissões de ética responsáveis pela aprovação dos ensaios clínicos a que estes estão sujeitos. As cobaias são informadas dos riscos que correm (alergias ou até mesmo a morte) competindo-lhes às mesmas a decisão final.

Contudo, existem por vezes excepções em que os Humanos são utilizados em experiências sem o seu conhecimento.

Conclusão

Após a feitura deste trabalho, concluimos que, visto que a ciência nasce da técnica e a técnica acaba por ser o produto final da investigação científica, hoje em dia falamos apenas em tecnociência.
É de referir que não devemos ser dependentes da tecnociência nem deixar-nos manipular pela mesma. Contudo, esta revela-se importante para o nosso quotidiano e, por isso, não devemos simplesmente repudiá-la.
Temos que ter capacidade de escolha e de auto-controlo. Apesar da tecnociência ser considerada como uma das maiores responsáveis pela instabilidade da vida na Terra, devemos reflectir sobre o verdadeiro causador destes problemas que é, não a tecnociência, mas sim o próprio Homem.